.+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+.

Os imortais vivem entre nós, poesias lindas e feitas de brisa do amanhecer!

Quero fazer um convite, quero conhecer vossos gostos!

Vou postar poesias dos imortais que cada um me mandar, aquela que te faz vibrar, manda-me por email, face, blog, msn, qualquer maneira!

kiromenezes@hotmail.com

Manda-me sua poesia Imortal!

'+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+..+*♥*+'

•○•.._____________..•○•

Poesia de Manuel Bandeira

segunda-feira, 21 de março de 2011





A Morte Absoluta
Morrer.
Morrer de corpo e de alma.
Completamente.



Morrer sem deixar o triste despojo da carne,
A exangue máscara de cera,
Cercada de flores,
Que apodrecerão - felizes! - num dia,
Banhada de lágrimas
Nascidas menos da saudade do que do espanto da morte.



Morrer sem deixar porventura uma alma errante...
A caminho do céu?
Mas que céu pode satisfazer teu sonho de céu?



Morrer sem deixar um sulco, um risco, uma sombra,
A lembrança de uma sombra
Em nenhum coração, em nenhum pensamento,
Em nenhuma epiderme.



Morrer tão completamente
Que um dia ao lerem o teu nome num papel
Perguntem: "Quem foi?..."



Morrer mais completamente ainda,
- Sem deixar sequer esse nome.



2 Encantamentos::

Lena disse...

Oi, Kiro
Você tem ainda o dom de descobrir pérolas esquecidas de poetas inesquecíveis. Mas, morrer assim, esquecida, nunquinha, né? Bjs amiga, com muito carinho!!!

Kiro Menezes disse...

^_^•

Espera-se que não, mas até os Imortais tem sido esquecidos, imagina eu?!?!

=[

Marcarei o mundo com o Rastro das Estrelas!!!

Bjinhos amorinha ♥